Ide, Fazei Discípulos

pexels

“Portanto, ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mt 28.19,20 – ARA). Este é o registro da ordem expressa por Jesus, mencionada por Mateus e Marcos, a fim de que o Evangelho fosse pregado a toda criatura.

As duas passagens, tanto a de Mateus como a de Marcos, registram o mesmo conteúdo em linguagem e estilo diferentes. O primeiro, escreveu para os judeus, a fim de apresentar Jesus como o Rei dos reis, também chamado o Leão da Tribo de Judá. O segundo, transmitiu a biografia de Cristo para apresentá-lo como o Servo do Senhor aos romanos, que falavam uma língua sintética e gostavam de receber sempre textos resumidos.

O propósito destas duas passagens é um só: Ganhar almas que irão viver eternamente com Cristo. No entanto, não basta apenas evangelizar, fazer com que as pessoas aceitem a Jesus como Salvador. O Ide de Jesus levado a sério vai além do que imaginamos como evangelização. É necessário discipular e integrar o novo-convertido, pois, como recém-nascido, não pode ser jogado à sorte das heresias que existem hoje.

Jesus possuía muitos discípulos, dentre os quais escolheu doze, que foram chamados de apóstolos, a fim de torná-los discipuladores. Foram três anos, diuturnamente, de intenso ensinamento, para que se tornassem aptos a transmitir a mensagem do Evangelho e a gerar muitos discípulos, os quais se tornariam também ensinadores. Passaram-se mais de 20 séculos, e a proposta é a mesma: “Fazei discípulos de todas as nações”.

Nós, obreiros da Assembleia de Deus no Brasil, somos exímios ganhadores de almas, mas deixamos a desejar quanto ao cuidado que devemos ter com elas. Perdemos mais do que ganhamos, pois, sem os devidos ensinamentos que lhes são necessários, muitos se desviam ou mudam de denominação, que os recebe muito bem, mas não lhes ensina conforme os ditames bíblicos. Muitos deles retornam às práticas do que faziam antes de se converterem a Cristo.

Por esta razão, foi estabelecida pela CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil) a CPEED (Comissão de Planos e Estratégias de Evangelismo e Discipulado), e, nesta última AGO (Assembleia Geral Ordinária), foi lançada a Década de Missão, Evangelização e Discipulado, quando em todo território nacional serão formados muitos discipuladores que gerarão novos discípulos, que também se tornarão ensinadores. Aleluia!

Pr. Antonio Mardonio

1º vice-diretor e editor-chefe do Ceifeiros em Chamas

Postagens relacionadas

Junte-se à discussão

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top